Dados do Caged revelam que Mossoró tem queda de 126% na geração de emprego


Mossoró vem acumulando consecutivas quedas na geração de emprego este ano. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), de janeiro a novembro de 2015, o município está com saldo negativo de 559 postos de trabalho. Uma queda de 126% comparada à geração de empregos no ano anterior.

Segundo o balanço do MTE, no ano passado, Mossoró fechou o balanço com um saldo positivo de 2.071 postos de trabalho, um saldo um pouco inferior ao ano anterior, mas nada que se compare ao cenário atual. A diferença no saldo de contratações entre 2014 e este ano são de 2.630 postos de trabalho.

Com relação ao Rio Grande do Norte, entre os meses de janeiro e outubro de 2012, foram criados 12.919 empregos formais. A maioria deles no setor de serviços, com 5.878 novas vagas, seguido pelo de comércio, com 3.606 e construção civil com 3.402. Já o segmento de indústria de serviços de utilidade pública apresentou 1.263 novas contratações negativas, assim como a administração pública. Os dois setores foram os únicos que tiveram déficit de oferta de trabalho em 2012.

Em relação apenas a novembro, Mossoró fechou o mês também com saldo negativo. Foram 1.684 admissões e 1.848 demissões, gerando uma perda de 164 postos de empregos formais. Com isso, a cidade ocupou a penúltima posição no ranking do Caged, entre os municípios potiguares com mais de 300 mil habitantes.

A primeira posição ficou com a cidade de Natal, com saldo positivo de 53 postos de trabalho. Em seguida estão as cidades de Apodi e João Câmara, com saldo positivo de 32 e quatro postos de trabalho, respectivamente.

Rio Grande do Norte tem queda na geração de emprego

O Rio Grande do Norte teve queda de 185 vagas de emprego no mês de outubro, conforme mostra o Caged. O setor que mais contribuiu para o índice negativo foi o de serviço, responsável pelo fechamento de 480 vagas.

O saldo negativo do Estado foi minimizado pela oferta de emprego no segmento de comércio. O setor abriu 514 novos postos de trabalho, dos quais 60% são em Parnamirim, o que representa a geração de 309 novos postos. Natal aparece em segundo lugar, com 108 novas vagas e Mossoró teve 74. Juntas, as três maiores cidades do Estado respondem por quase 96% de todos os empregos abertos.

Na construção civil teve queda de 334 vagas; na agropecuária, 34; e na administração pública, 4. Os setores que aumentaram as contratações formais foram: indústria de serviços de utilidade pública (83 vagas), indústria de transferência (41) e extrativismo mineral (29).
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário