Governador Robinson e Crispiniano Neto prometem reconstruir Teatro Lauro Monte Filho

Governo e FJA prometem reforma no Teatro Lauro Monte Filho (Fotos: César Filho/Mossoró Notícias)
O governador Robinson Faria (PSD) encheu de entusiasmo a plateia lotada de artistas que prestigiou a solenidade de reabertura do Teatro de Cultura Popular Chico Daniel (TCP), na noite desta quinta-feira (18). Além da entrega do equipamento, que estava fechado por problemas estruturais há oito meses, o líder do Executivo Estadual anunciou a reforma definitiva do Teatro Alberto Maranhão (TAM) e de outras casas teatrais regionais.

Ainda durante a cerimônia, que teve música, artes visuais e dança, Robinson também assinou um decreto que destina R$ 6 milhões para investimentos em projetos culturais do RN, através da Lei Câmara Cascudo. “Mesmo com toda a dificuldade financeira, conseguimos economizar esse recurso, mostrando o nosso compromisso enquanto governo com a cultura do nosso estado”, afirmou Robinson. “Vocês tem um governador parceiro e defensor da cultura”, assinalou.

Segundo o governador, a reforma para posterior reabertura do TAM, a exemplo do Teatro de Cultura Popular, será definitiva. “Entregaremos o Alberto Maranhão nas mesmas condições de quando ele era novo, recém aberto. E faremos o mesmo com o Lauro Monte, em Mossoró, o Adjuntos Dias, em Caicó, e outros teatros regionais”, anunciou.

No planejamento da Fundação José Augusto (FJA), ainda está prevista a abertura do teatro da Cidade da Criança e do Teatro Kiko Santos, em Mossoró, além de 28 casas de cultura. “Em breve, estará em curso cerca de 40 a 45 obras estruturantes da Cultura em todo o estado, através do RN sustentável. Isso totaliza um investimento em torno de 40 milhões no total”, detalhou o presidente da FJA, Crispiniano Neto (PT).

As obras realizadas para a reabertura do Teatro de Cultura Popular foram orçadas em R$ 150 mil. Além das adequações no sistema de segurança e instalações elétricas, foi realizada a manutenção no sistema de ar condicionado, reparos nas infiltrações e dedetização no prédio.


Também foi organizada a estrutura interna com a melhoria das dependências do camarim. O equipamento tem capacidade para 178 pessoas e pode abrigar montagens de médio porte nas áreas de música, cinema e artes cênicas.

Resposta da FJA

Em janeiro, a reportagem do Mossoró Notícias entrou em contato com a Fundação José Augusto, que esclareceu que a empresa mossoroense que ganhou a licitação e iniciou as obras. Parou meses depois por falta de pagamento deixando o teatro na situação de abandono que redundou no quadro atual.

De acordo com a direção geral da Fundação José Augusto, todas as providências estão sendo tomadas para a retomada das obras e o Governador Robinson Faria já autorizou junto ao RN-Sustentável, 2,5 milhões de reais para recuperar o Teatro Lauro Monte Filho.

 A direção informou que a reforma seja licitada precisa ser vencidas negociações e barreiras burocráticas. Com vistas à superação destas dificuldades, o Gabinete Civil do Governo Robinson Faria e a Fundação José Augusto estão convocando todas as secretarias e demais órgãos envolvidos nestes três processos para uma reunião na Governadoria para a agilização de todas as providências restantes.


No que se refere ao caso específico do Teatro Lauro Monte Filho, de Mossoró, necessário se faz salientar que o maior entrave estava sendo uma dívida de 400.000,00 (quatrocentos mil reais) do governo anterior que levou a empresa ganhadora da licitação de 2,4 milhões a suspender as obras e deixar o teatro na situação em que ele se encontra hoje. E que esta dívida acaba de ser negociada, viabilizando a concretização do DISTRATO, sem o qual estamos legalmente impossibilitados de licitar novamente a obra, mesmo tendo o recurso de 2,5 milhões de reais disponibilizados pelo governador.

Confira a matéria produzida em Janeiro (aqui)
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário