Secretaria de Saúde recomenda que grávidas evitem beijar no Carnaval



A Secretaria de Saúde (SMS) recomendou que mulheres grávidas "evitem beijar qualquer pessoa" durante o carnaval. A recomendação, anunciada junto a outras orientações, foi feita na tarde desta sexta-feira (5) após a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) detectar potencial de transmissão do zika vírus através da saliva e da urina.

De acordo com as orientações divulgadas pela assessoria de comunicação da SMS, "a evidência da Fiocruz, que detectou potencial de transmissão por saliva e urina, ainda não traz base para que as pessoas deixem de ir ao carnaval. Contudo, alerta para que as gestantes, que têm potencial maior de contaminação, evitem locais com grande aglomeração. As grávidas são o principal grupo de risco para a doença por conta da microcefalia", diz o informe.

Ainda de acordo com a Secretaria de Saúde de Natal, as recomendações para as grávidas incluem "evitar beijar qualquer pessoa e evitar compartilhar de copos e talheres até que as pesquisas avancem". A SMS ainda recomenda o uso de repelentes.

A orientação da secretaria vai de encontro a declaração do presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, que durante a coletiva de imprensa realizada na manhã desta sexta, no Rio de Janeiro, aformou que evitar beijo não é medida de saúde pública, apesar de ponderar o aumento do risco por meio do beijo. "O risco estará aumentando. Mas não temos isso (evitar o beijo) como uma medida de saúde pública, pelo amor de Deus. Pode beijar!", disse.

Potencial de transmissão

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) anunciou nesta sexta-feira (5) que o zika vírus foi encontrado de forma ativa na urina e na saliva. A descoberta foi feita a partir da análise de amostras de dois pacientes com sintomas compatíveis com o vírus zika.

Os cientistas observaram que o material coletado nas amostras dos pacientes - além de conter a presença do vírus zika, confirmada pelos chamados testes PCR - também foi capaz de provocar danos em células em testes de laboratório.

Isso comprova a atividade viral, segundo os cientistas. Ainda assim, pesquisas aprofundadas serão necessárias para comprovar se necessariamente haverá infecção através de fluidos.

Segundo Paulo Gadelha, a descoberta  "muda o patamar e a forma que estamos tendo que desdobrar as pesquisas". No entanto,"o significado dessa descoberta na transmissão ainda deve ser esclarecido".

"Antes, só foram encontradas partículas não infecciosas. Mas ainda é preciso pesquisar para saber se é possível que se infecte outra pessoa", reforçou.

Após o anuncio, o Ministério da Saúde recomendou que as pessoas adotem "cautela e prevenção" e reforcem medidas de higiene para evitar o contágio pelo vírus zika. Entre as medidas sugeridas estão evitar compartilhar objetos de uso pessoal, como escovas de dente e copos, e lavar as mãos com frequência.
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário