Cercado de suspeitas, Mossoró Cidade Junina ajusta formato e adia licitação

A semana começou com as atenções voltadas para a edição 2016 do Mossoró Cidade Junina. O evento que tem edições anteriores investigadas, encontra-se com sua fase burocrática cercada de mudanças e indefinições.

O processo de licitação contou com ajustes que foram denunciados por empresários como restritivos e que supostamente beneficiariam empresas que concorrem ao certame.

No início da semana foram anunciadas novas mudanças que levantaram suspeitas. Segundo informações divulgadas por secretários, a contratação das atrações será encaminhada diretamente pela Prefeitura, dispensando a intermediação de uma empresa contratada.

A empresa contratada ficaria a cargo apenas da estrutura de realização do evento. Ontem, 26, o resultado do processo de licitação deveria ter sido anunciado. Mas em meio a indefinições, e poucos esclarecimentos, o resultado da licitação só será divulgado no dia 2 de maio.

O adiamento das datas de conclusão da licitação teria origem em contestações de participantes do certame e estaria sendo acompanhado pelo Ministério Público.

INVESTIGAÇÃO – Na Câmara Municipal o vereador Tomaz Neto encaminhou na manhã de ontem a coleta de assinaturas para a instalação de uma CEI para investigar o Mossoró Cidade Junina.

O vereador tentou coletar as assinaturas no decorrer da sessão e foi contestado por vereadores governistas que se recusaram a assinar o documento.

Além de Tomaz, assinaram o documento durante a sessão os vereadores Genivan Vale, Tassyo Mardonny e Narcizio Silva. Vereadores ligados ao prefeito Francisco José Jr se negaram a assinar o documento.

A busca pela instalação de uma CEI destinada a investigar o Mossoró Cidade Junina deverá voltar a pauta da sessão de hoje. Num momento marcado por dificuldades em áreas prioritárias como a da saúde, a pressão popular deverá crescer em busca da abertura da investigação.

Fonte: O Mossoroense

Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário