Penitenciária Federal de Mossoró recebe 21 presos perigosos do Rio de Janeiro


Presos perigosos do Rio de Janeiro foram transferidos neste sábado (23) para o presídio Federal de Mossoró. A decisão é do titular da Vara de Execuções Penais (VEP), juiz Eduardo Oberg. Segundo o magistrado, independente dos Jogos Olímpicos, os detentos seriam transferidos. No entanto, o objetivo da Secretaria estadual de Segurança e da própria VEP era fazer este deslocamento antes da abertura do megaevento. Além de Mossoró, mas dois presídios federais receberam presos, Porto Velho, em Rondônia e Catanduvas, no Paraná.

“Os nomes foram escolhidos pela inteligência do Ministério Público estadual e a subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança. Dois critérios foram suficientes para a transferência deles: têm alta periculosidade e integram organizações criminosas”, explicou Oberg, ressaltando que o pedido de transferência foi feito pelo secretário José Mariano Beltrame.

O titular da VEP disse ainda que mesmo presos, os criminosos mantinham contato com bandidos nas comunidades cariocas. Os contatos, segundo Oberg, eram realizados, principalmente, através de celulares de dentro do Complexo Penitenciário de Gericinó.
A manutenção deles aqui não era suficiente para garantir a segurança e o desligamento desses criminosos das organizações criminosas que são ligados. Era necessário, então, que eles fossem afastados do estado do Rio para acabar com esse elo com as comunidades”, disse. 

“Foi uma saída de emergência e cautelar. Foi uma ação de Estado, de compreensão dos Jogos, mas eles sairiam de qualquer maneira”, concluiu.

Não há confirmação de que os criminosos estariam planejando alguma ação durante a Olimpíada. No entanto, mesmo com as transferências, a possibilidade ainda é investigada pela polícia.

Em nota, a Secretaria de Segurança informou mesmo encarcerados, esses presos de alta periculosidade estariam participando de ações criminosas e foram transferidos por questão de segurança pública.

Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário