Novo Programa do Leite aumenta em 20% valor pago a produtores e laticínios


Durante a solenidade de lançamento do novo formato do Programa Leite Potiguar, na Escola de Governo do RN, o governador Robinson Faria anunciou o aumento de 20% no preço do litro de leite bovino e caprino, pago a produtores e laticínios.
 
A partir de agora, o leite bovino passa a custar R$ 2,16 e o litro do leite caprino, R$ 2,70. Os laticínios receberão R$ 0,78 pelo custo de beneficiamento e os produtores receberão R$ 1,38 pelo litro do leite bovino e R$ 1,92 pelo litro do leite caprino.
 
Outra novidade anunciada pelo governador é que os postos de distribuição passam a funcionar em prédios públicos estaduais nos municípios, preferencialmente escolas. “O novo formato do programa vai, também, beneficiar o pequeno produtor, que antes não tinha a quem vender. Metade do leite que o Estado vai comprar virá do agricultor familiar”, ressaltou Robinson Faria.
 
O PLP passa, a partir de hoje, para a gestão compartilhada entre a Emater-RN e a Secretaria do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas-RN). O instituto fica com a responsabilidade de prestar assistência técnica ao produtor e gerenciar o pagamento do PLP. Já a Sethas fica com o controle social do programa, cadastrando os beneficiários e fiscalizando a distribuição do leite.
 
“Iniciamos hoje um processo de melhoramento do PLP e não mediremos esforços para termos o melhor Programa do Leite que o Rio Grande do Norte já teve. Queremos garantir um leite de qualidade e que os produtores recebam pelo fornecimento com mais agilidade”, acrescentou a diretora geral da Emater-RN, Cátia Lopes. A instituição atuará em conjunto com o Idiarn para garantir periodicamente a análise do leite adquirido.
 
Durante a solenidade, estiveram presentes representantes das 58 associações e entidades socioassistenciais sem fins lucrativos, de 37 municípios, credenciadas após chamada pública para fazer a distribuição do leite.
 
O Governo do Estado já investiu no Programa Leite Potiguar, somente até o mês de maio, R$ 16,2 milhões. As duas quinzenas de junho ainda estão em fase de prestação de conta, realizada pelos laticínios, para depois serem autorizados os pagamentos.
 
Capacitação para a distribuição
 
À tarde, o evento organizou capacitação realizada pela Emater e Sethas, voltada para os coordenadores de postos de distribuição. Participaram, também, alguns representantes de associações de produtores de leite.
 
Os coordenadores foram orientados a verificar em detalhes o momento da entrega do leite nos postos de distribuição, conferindo se as embalagens estão em perfeito estado, se há alguma identificação comercial no saquinho (o que é proibido), se a quantidade recebida está conforme as guias de distribuição e se não houve atrasos na entrega.
 
Havendo qualquer irregularidade, o coordenador pode solicitar ao laticínio a troca; caso haja alguma dificuldade, a Sethas deverá ser comunicada imediatamente, e a informação será repassada à Emater, que tomará as providências necessárias.
 
A Emater apresentou outra novidade: cada posto de distribuição terá um cartão de assinaturas, ferramenta que servirá para evitar fraudes, no caso de outra pessoa tentar receber o leite no lugar do real beneficiário. O cartão terá as informações capazes de identificar o recebedor, e será assinado por ele a cada entrega efetuada.
 
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário