Restaurantes de Mossoró faturam em média R$ 66 mil mensais


Uma pesquisa encomendada pelo Sindicato do Comércio Varejista de Mossoró ao Instituto de Pesquisas e Desenvolvimento Econômico do Comércio da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN, traçou o perfil do Setor Gastronômico da capital do Oeste.

Entre 20 e 25 de junho foram visitados 200 estabelecimentos para aplicação de um questionário com 26 perguntas, relacionadas à estrutura física e de pessoal; capacidade de absorção da demanda; funcionamento; tipo de comida servida; entre outros itens.

Os dados foram apresentados pelo diretor executivo da Fecomércio RN, Jaime Mariz, e servirão de subsídio para que o Sindicato possa propor estratégias de aperfeiçoamento dos serviços oferecidos na cidade aos seus associados. A reunião, que aconteceu na CDL de Mossoró, contou com a presença de membros da diretoria do Sindicato do Comércio Varejista, do secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Renato Fernandes, e de empresários do setor gastronômico da cidade.

"Existe um passeio pelo litoral leste do Ceará, que já está bem consolidado, chamado Rota das Falésias, e que passa pelas cidades Eusébio, Aquiraz, Pindoretama, Cascavel, Beberibe, Aracati, Fortim e Icapuí, algumas delas bem próximas de Mossoró. Diante disso, precisamos estar preparados para receber melhor não só as pessoas daqui, como também os turistas que visitam a cidade provenientes deste passeio", afirmou o presidente do Sindivarejo Mossoró, Michelson Frota.

A pesquisa revelou que mais da metade dos empreendimentos (54%) iniciaram suas atividades há menos de 5 anos; e possuem apenas uma unidade (78%). Com um faturamento médio mensal de pouco mais de R$ 66 mil, e com uma média de 9 funcionários, cada estabelecimento tem capacidade para receber em média 100 pessoas, e tem um fluxo médio semanal de 670 clientes.

Entre os restaurantes pesquisados, 43% deles funcionam todos os dias da semana, sendo que o final de semana é o período de maior movimento para 70% dos restaurantes pesquisados. Um percentual de 44,5% dos estabelecimentos é temático; serve comida brasileira (38,5%), regional (38%), sanduíches (32,5%) e massas/pizzas (28%); com sistema à la carte (39%), de lanchonete (38%), buffet/self-service (25%) e caldos/espetinhos/porções (24%). Os cardápios são atualizados a cada seis meses, pelos proprietários (59%).

Como atrair mais clientes (39%), a carga tributária (32,5%) e a falta de mão de obra especializada (26%) foram as principais dificuldades operacionais apresentadas pelos empresários do setor de gastronomia de Mossoró. Diante disso, prezam pela qualidade da alimentação (52%), o bom atendimento (43,5%) e as promoções (18,5%) como diferenciais para suprir as deficiências.
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário