RN tem cinco mulheres mortas por maridos ou ex-companheiros em cinco dias


Novo caso de violência contra a mulher é registrado no Rio Grande do Norte. É o quinto caso em menos de uma semana. Na tarde dessa terça-feira (16), uma mulher foi morta com sete tiros na Avenida Boa Sorte, no bairro Nossa Senhora da Apresentação, em Natal.

De acordo com a Polícia Civil, Naiara Régia Noemia Silva, 18 anos, foi assassinada nas proximidades da casa onde morava. O ex-companheiro da vítima é o principal suspeito. Ele teria chamado a vítima na porta da residência, onde efetuou os disparos contra a jovem.

Naiara deixa um bebê de dois meses, fruto da relação com o ex-companheiro, que não teve a identificação divulgada. O suspeito não foi preso até o momento. O caso deverá ser investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa.

Esse caso aumenta para 59 o número de mulheres mortas de 1° de janeiro até ontem (16). São quase quatro mulheres por mês, uma a cada semana. Do total de assassinatos, 21 têm suspeitas de violência doméstica e/ou de gênero, sendo cinco somente nos últimos cinco dias.

Casos recentes

Os casos dos últimos dias foram os seguintes: Francycris Silva Fernandes, de 24 anos, foi morta a facadas pelo marido, na noite do último sábado (13), no bairro Planalto 13 de maio, em Mossoró; Mykaella Ruanna Pereira Fagundes, de 21 anos, foi morta a tiros, no Bairro das Rocas na quinta feira 11, em Natal; Josefa Ferreira da Silva, de 41 anos, morta pelo marido, em frente aos três filhos, na oite de quarta-feira (10), na cidade de São Rafael; Ana D'ávilla Gomes de Oliveira, de 47 anos, morta a golpes de faca pelo ex-marido, na própria residência, também na noite de quarta-feira (10).

Os dados, segundo a secretária municipal da mulher, Aparecida França, assustam e levantam questões sobre as políticas públicas voltadas para a proteção de mulheres em situação de violência. "Mas o que é preciso fazer para evitar que mais mulheres sejam assassinadas por seus companheiros e ex-companheiros? A primeira providência é estimular as mulheres a denunciar seus agressores", orienta a secretária municipal da mulher, Aparecida França.


Com informações Tribuna do Norte
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário