América-RN empata com Remo em Belém e acaba rebaixado à Série D


A partida entre Remo e América-RN valia o futuro das duas equipes na Série C do Campeonato Brasileiro, mas o que seu viu no Estádio Mangueirão foi um jogo com muito nervosismo, com o apito final aos 51 minutos do segundo tempo. O empate em 0 a 0 foi trágico e causou o rebaixamento do América-RN à Série D do Campeonato Brasileiro, que, em decorrência da vitória do Confiança sobre o Salgueiro por 2 a 1, em Aracaju, colocou o time potiguar no nono lugar do Grupo A, com 20 pontos e, ao lado do River-PI, sofreu a queda para a quarta divisão do futebol nacional. 

Do outro lado, o resultado tirou o Remo do G-4 e deixou a equipe na quinta colocação, com 25 pontos, devido ao empate entre ABC e ASA no Estádio Frasqueirão, em Natal, que colocou o Fantasma na quarta posição, com 26 pontos.

O jogo

O primeiro tempo no Estádio Mangueirão foi de pleno domínio do Remo. Empurrado por uma massa barulhenta nas arquibancadas, o Leão encurralou o América-RN na defesa e teve cinco oportunidades claras para abrir o placar, com o atacante Edno e o lateral-esquerdo Wellington Saci, mas esbarrou no goleiro Ricardo, que esteve em noite inspirada e que ainda contou com a sorte, ao ver uma bola de Michel Schmoller explodir no travessão. O Mecão teve a grande chance com o meia Jussimar, que puxou um ótimo contra-ataque e deu um lindo cortou a defesa azulina. Porém, a conclusão foi mal sucedida e acabou para fora.

Na etapa final, as duas equipes entraram em campo como se fossem para uma guerra. De olho aos resultados entre ABC e ASA, em Natal, e Confiança e Salgueiro, em Aracaju, a partida em Belém tornou-se um festival de contra-ataques. A primeira tentativa foi do América-RN, em tabelinha entre Thiago Potiguar e Luiz Eduardo dentro da área do Remo. 

No momento da finalização, o zagueiro Max conseguiu o corte. Do outro lado, Edno, pela esquerda, bateu forte rasteiro e o goleiro Ricardo desvia com as pontas dos dedos. No entanto, o assistente marcou, erroneamente, o impedimento do Leão. Em outro lance para o Leão, Flamel puxou a jogada pela direita e rolou para Eduardo Ramos, que não teve força para bater ao gol e desperdiçou a melhor jogada da partida.

Emoção até os 51 do 2º tempo


Com muitas substituições e catimba dos dois lados, a arbitragem decidiu dar seis minutos de acréscimos no segundo tempo e levou a partida até os 51 minutos. O que se viu em campo foi um duelo de muita emoção e sem qualquer formação tática, apenas ataques contra as defesas. O América-RN conseguiu encaixar uma sequência de seis chutes, todos defendidos pelo goleiro Fernando Henrique ou desviados na defesa paraense. Do outro lado, o Remo apostou na força de Flamel e Edno, mas a zaga alvirrubra tirou como pode as tentativas adversárias. Com o apito final, muito choro e frustração de todos os jogadores. 

Na arquibancada, vaias e xingamentos da torcida do Leão ao elenco e diretoria.
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário