Incêndio que já dura 4 dias atinge vegetação de Mata Atlântica no RN

Um incêndio iniciado na sexta-feira (7) atinge a Mata do Pilão, inserida na reserva ambiental da Área de Proteção Ambiental Piquiri-Una, na região Leste do Rio Grande do Norte. A reserva tem áreas de Mata Atlântica e inclui mais de 40 mil hectares em cinco municípios potiguares: Goianinha, Canguaretama, Espírito Santo, Pedro Velho e Várzea. O Governo do Estado já adotou medidas para tentar conter as chamas.

Até o momento, segundo nota emitidfa pelo Governo do Estado, o incêndio já provocou "degradação ambiental, atingindo a fauna local e podendo chegar uma área total danificada de mais de 40 hectares". A nopta diz ainda que "o Governo está mobilizado para evitar que as chamas atinjam nascentes de rios da região".

O Corpo de Bombeiros trabalha desde sexta no controle das chamas. No sábado (8), segundo a nota do Governo, o fogo chegou a ser controlado, mas, em função da área estar extremamente seca, retornou no domingo (9). A região tem quatro nascentes de água que abastecem rios e a população da de cidades vizinhas.

Os bombeiros não descartam causas naturais por causa das altas temperaturas nos últimos meses do ano, mas há possibilidade de um incêndio causado pelo homem. Por causa disso, formalizada queixa-crime à Polícia Civil para que apure a origem do incêndio e, em caso de confirmação de crime, se proceda com a punição dos culpados.

Além disso, foram contatadas todas as Prefeituras da região atingida, para colaborar com esforços na contenção das chamas. Atualmente, há voluntários na região, além de equipes das prefeituras de Espírito Santo e Goianinha.

A Secretaria de Segurança Pública deslocou o helicóptero Potiguar I para o local, para ser utilizado em áreas de acesso mais difícil, e a Companhia Independente de Proteção Ambiental (Cipam), da Polícia Militar, está no local atuando no resgate de animais feridos.

A Defesa Civil se deslocou para Espírito Santo, onde se reuniu com as defesas civis municipais das cidades envolvidas. O Governo do Estado contactou a Marinha Brasileira, o Ibama, o projeto SOS Mata Atlântica e o ICMBio – órgão de conservação da biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente, para requisitar ajuda no controle do fogo e na medição dos danos ambientais causados pelo incêndio.

Por determinação do governador Robinson Faria, foi instaurado um comitê de crise que está monitorando e conduzindo as ações para o controle do incêndio e as medidas relacionadas ao problema, em caráter permanente, até o total controle da situação.
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário