Cotidiano

Guardas municipais paralisam atividades extraordinárias


Por meio de nota emitida nesta sexta-feira, 16, os guardas municipais de Mossoró informaram que vão paralisar as atividades extraordinárias até que a Prefeitura Municipal de Mossoró (PMM) regularize o pagamento da categoria. Essa paralisação prejudica outros serviços, já que os guardas municipais realizam a segurança de prédios públicos.

Há alguns meses, devido o grande número de assaltos que estavam acontecendo nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Mossoró, os guardas municipais ficaram responsáveis por manter a segurança nessas unidades. Esse trabalho é realizado de forma extraordinária, de acordo com as informações repassadas pela categoria.

A intenção da categoria, com a paralisação, é forçar a Prefeitura a realizar os pagamentos, já que, sem a segurança dos guardas municipais, algumas unidades não funcionam. “A medida visa pressionar a gestão a pôr os pagamentos em dia, uma vez que as UPAs e UBSs atendem em pleno funcionamento apenas com a presença da Guarda”, informou a nota.

As atividades extraordinárias são aquelas que são realizadas extra horário regular de trabalho e são pagas separadamente do salário mensal. No entanto, o Sindicato dos Guardas Municipais (SINDIGUARDAS) informou, também na nota, que a PMM vem apresentando inconstâncias até no pagamento do salário fixo.

“Diante das inconstâncias da gestão, o atraso salarial, atraso do pagamento dos serviços extraordinários e as más condições de trabalho, a categoria presente na assembleia do dia 16/12/2016 optou pela paralisação dos serviços extras (UBSs e UPAs)”, informava a nota emitida pelo sindicato na tarde desta sexta-feira.

A paralisação deve acontecer até a regularização dos pagamentos. O sindicato informou que, paralelo à paralisação, vai divulgar nos veículos de comunicação as dificuldades vivenciadas nas atividades, que são provocadas pelas más condições de trabalho.

Esta não é a primeira vez que o sindicato opta por paralisar as atividades extraordinárias por falta de pagamento. No mês de outubro, a UBS Ildone Cavalcanti de Freitas ficou fechada por um dia porque a Guarda Municipal decidiu paralisar os serviços mediante atraso no pagamento das horas extras.

Os funcionários informaram que o atendimento ficaria suspenso enquanto a Guarda Municipal não voltasse à atividade. A UBS já foi alvo de diversos assaltos antes de os agentes municipais prestar serviços no local.

Com informações Jornal de Fato

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.