Veja como funciona o novo golpe do FGTS no Whatsapp; 140 mil pessoas já caíram

Veja como funciona o novo golpe do FGTS no Whatsapp; 140 mil pessoas já caíram

brasil

POR Caio Vale

09/10/2017

Uma nova ameaça foi identificada no WhatsApp nesta semana e já conseguiu a atenção de milhares de brasileiros. Depois do "golpe do 14º salário", a descoberta feita da companhia de segurança ESET promete pagamento retroativo do FGST no valor de R$ 1.760 e vem sendo compartilhada aos montes dentro do mensageiro. O link presente na mensagem leva o usuário a uma página de cadastro. O site em questão pede dados pessoais e instrui o compartilhamento da mensagem para mais cinco amigos, colocando isso como pré-requisito para obter a confirmação sobre a liberação do benefício. Apesar de usar métodos básicos e de campanhas de conscientização contra esses golpes, a nova ameaça já recebeu mais de 140 mil cliques, alerta a ESET. A intenção primária do golpe é redirecionar audiência a fim de gerar renda a partir de anúncios publicitários. Além disso, é possível que a intenção seja também usar os dados das vítimas para realizar cadastros em serviços pagos, algo que também pode gerar receita para os cibercriminosos. Um dado curioso aqui é que os códigos da página em questão ficam ocultos. Ao tentar acessar o modo de desenvolvedor pelo WhatsApp Web, surge na tela a mensagem “não foi dessa vez :) babaca”. Se a intenção é verificar o código fonte da página, a informação é de que isso não é possível “por questão de segurança”. “Como sempre, a regra de ouro é: ‘para estar seguro, mantenha-se atento’”, alerta o security researcher da ESET América Latina Cassius Puodzius. “Não clique e nem mesmo abra mensagens suspeitas. Além disso, para proteger seus amigos e parentes, não compartilhe publicações deste tipo. Mesmo não realizando a propagação de um malware, esses ataques podem causar prejuízos financeiros às vítimas.”

Comentários

thermas nl2
Biofit nl2
modus nl2